Publicado em 17/06/2021 às 12h59.

PDT ainda pode ter candidato próprio a governador, diz presidente do partido na Bahia

De acordo com Félix Mendonça Júnior, prioridade "número zero" da sigla é eleger Ciro Gomes

Redação
Foto: Divulgação PDT
Foto: Divulgação PDT

 

A executiva estadual do PDT se reuniu na manhã desta quinta-feira para definir os rumos do partido para as eleições de 2022. Comandada pelo presidente da legenda na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Júnior, a reunião ocorreu de forma virtual, e contou com as presenças das principais lideranças da agremiação na Bahia.

No encontro foi reafirmado que a prioridade  “número zero” da sigla é eleger o ex-governador do Ceará Ciro Gomes à Presidência da República em 2022. “O PDT tem hoje uma posição definida e clara: Ciro Gomes será nosso candidato à Presidência da República. E todos os diretórios estaduais e municipais terão que seguir essa determinação. A Bahia tem recebido uma atenção especial até em função de ser o quarto colégio eleitoral do país”, disse Félix. “Se por acaso eu não seguisse essa determinação, por exemplo, eu teria que sair do PDT”, acrescentou.

Félix informou aos membros da Executiva que o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e o próprio Ciro Gomes têm feito articulações com lideranças políticas da Bahia. Ele contou que também tem participado das conversas com o presidente nacional do DEM, ACM Neto, que admite a possibilidade de estar com Ciro desde que o PDT apoiou a candidatura de Bruno Reis a prefeito de Salvador, em 2018.

“Mas não há martelo batido. O PDT ainda pode, por exemplo, ter candidato próprio a governador. A decisão que será tomada na Bahia seguirá o que for melhor para fortalecer Ciro Gomes no estado, bem como as bandeiras do PDT. Não temos conversado com o PT do senador Jaques Wagner justamente porque o PT tem como candidato o ex-presidente Lula”, afirmou Félix.

Sem atrito

Embora já sejam dadas como certas as saídas do deputado federal Alex Santana, e dos deputados estaduais Roberto Carlos, Samuel Araújo e Euclides Fernandes, o encontro de hoje, onde todos estiveram presentes, foi “tranquilo”. Segundo uma fonte do bahia.ba nenhum dos parlamentares ameaçou pedir a desfiliação neste momento. O membros da Assembleia Legislativa devem permanecer na base do governador Rui Costa (PT), enquanto Alex deve se filiar por algum partido que apoie o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na ocasião, também foi anunciada a renovação dos membros da Executiva na Bahia, que terá as presenças de todos os representantes com mandato eletivo, da vice-prefeita da capital, Ana Paula Matos, do secretário de Saúde de Salvador e presidente municipal do PDT, Leo Prates, e outras lideranças novas, a exemplo do ex-prefeito de Araci, Silva Neto. A nova Executiva Estadual já se forma nesta sexta (18).

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.