Publicado em 09/10/2019 às 18h13.

‘Sabe qual é a chance de Bruno Reis brigar com Léo Prates? Zero’, diz vice-prefeito

Bruno ainda falou sobre a eleição municipal de 2020 e a gestão de Geraldo Jr. na Câmara

Breno Cunha
Foto: Reprodução / TV Câmara
Foto: Reprodução / TV Câmara

 

O vice-prefeito Bruno Reis (DEM) voltou a falar sobre a possibilidade de ser o candidato do prefeito ACM Neto (DEM) na eleição de 2020, em Salvador.

Em entrevista à TV Câmara, Bruno garantiu que apoiará o nome que Neto escolher, inclusive se o seu for preterido. Sobre Léo Prates, o vice-prefeito destacou que não existe qualquer possibilidade de desavença entre os dois, nem mesmo se Léo for o escolhido pelo prefeito para disputar sua sucessão.

“Eu e Léo nos amamos. Sabe qual é a chance de Bruno Reis brigar com Léo Prates e Léo Prates brigar com Bruno Reis? Zero. Se ele for candidato, terá todo o meu entusiasmo, o meu estímulo. É um cara lutador, que já teve oportunidades e mostrou o seu potencial. É um dos melhores nomes da política na Bahia”, disse.

“Se o nome de Léo for o melhor nome para governar a cidade e vencer as eleições, não tenho dificuldade nenhuma [de apoiá-lo]”, acrescentou

Questionado sobre a forma que o presidente da Câmara Municipal, Geraldo Jr. (SD), está conduzindo o poder legislativo da capital baiana, Bruno elogiou a gestão. “A condução está correta. Ele está projetando a Câmara, se projetando, projetando os vereadores. Todos têm seus sonhos e pretensões e ele está construindo o seu caminho. Ele está certo”.

“Nós nunca conversamos sobre isso [Geraldo ser seu vice]. Volto a dizer: quase não tenho conversado sobre política. Estou focado na gestão”, desconversou o vice-prefeito

O democrata ainda sugeriu que a eleição municipal do ano que vem vai ao segundo turno se o governo decidir por pulverizar o pleito.

“Vai depender muito de qual seja a estratégia do governo. Se houver uma pulverização com diversas candidaturas, eles vão tentar levar a eleição para o segundo turno. Se houver uma única candidatura, pode ser uma eleição de primeiro turno”, concluiu.

PUBLICIDADE