Publicado em 19/09/2017 às 10h59.

‘Secretários do PMDB continuam tendo minha confiança’, avisa ACM Neto

“Eu não vou permitir que se coloque uma nuvem de suspeita sobre nenhum dos meus colaboradores”, salientou prefeito sobre indicados de Geddel na gestão

Evilasio Junior
Foto: Luís Filipe Veloso/ bahia.ba
Foto: Luís Filipe Veloso/ bahia.ba

 

Após as confirmações das mudanças em sua equipe, o prefeito ACM Neto (DEM) reforçou que os quadros indicados pelo PMDB em sua gestão permanecerão em seus cargos.

Atualmente, ocupam postos importantes na administração soteropolitana os secretários Fábio Mota (Mobilidade) e Almir Mello Jr. (Infraestrutura), além do superintendente de Conservação e Obras Públicas (Sucop), Orlando Castro, todos referendados pelo ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima. Preso com o peemedebista, apenas o ex-chefe da Defesa Civil (Codesal), Gustavo Ferraz, foi exonerado.

O democrata ainda avisou que qualquer outra troca ligada ao partido “nesse momento não está em avaliação”. “Nós fizemos uma mudança de imediato, que foi a Codesal, com a exoneração do seu antigo diretor-geral, Gustavo Ferraz […], e eu não vou permitir que se coloque uma nuvem de suspeita sobre nenhum dos meus colaboradores. Os secretários que têm identificação política com o PMDB continuam tendo a minha confiança. Depois, se surgir qualquer coisa contra qualquer um, não é só do PMDB, qualquer um na gestão, essa pessoa será afastada de imediato, mas por ora eu só posso reafirmar a minha confiança nos quadros que estão ao nosso lado na prefeitura”, salientou.

Perguntado pelo bahia.ba especificamente sobre a situação do titular da Seinfra, mais próximo a Geddel e que teria balançado durante as conversas sobre a reforma na equipe, Neto garantiu a sua permanência, pelo menos até 2018.

“Não há nenhuma hipótese de especulação sobre outras mudanças nesse momento. Nas condições atuais nós estamos com a nossa equipe pronta e montada. O que pode haver é quando houver o momento da desincompatibilização eleitoral, no início de abril, caso algum secretário, caso algum dirigente decida ser candidato, aí podem haver outras mudanças, porque eu mesmo tenho que tomar uma decisão a meu respeito. Então, até lá, por ora, eu não cogito nenhuma outra mudança. Caso aconteça algum fato novo, aí nós vamos abordar o fato novo”, disse o prefeito.

Neto exaltou também a entrada de Sósthenes Macedo, ex-chefe da Prefeitura-Bairro do Subúrbio Ferroviário, na Codesal. “Um nome de escolha pessoal minha, que eu tenho certeza que está preparadíssimo para assumir a Defesa Civil da Cidade do Salvador”, apostou.

Aliado de primeira hora de João Henrique Carneiro, hoje no PR, Sósthenes ingressou no Palácio Thomé de Souza pelas mãos do ex-prefeito, que o emplacou em vários cargos, e era considerado a impressão digital do apoio de JH a Neto na sua primeira eleição, em 2012.