Publicado em 18/02/2020 às 21h00.

Coutos ganha lar de acolhimento para famílias em situação de vulnerabilidade

UAI tem capacidade para abrigar até 50 pessoas que poderão fazer cursos de capacitação e participar de projetos esportivos

Redação
Foto: Divulgação/AscomBrunoReis
Foto: Divulgação/AscomBrunoReis

 

Voltada ao público mais pobre da região de Coutos, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, a Família Pérolas, nova Unidade de Acolhimento Institucional (UAI), inaugurada nesta terça-feira (18). De acordo com o vice-prefeito, Bruno Reis, o equipamento recebeu o investimento de R$ 2,8 milhões e será administrado pela prefeitura.

Sob gestão da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), a UAI tem capacidade para abrigar até 50 pessoas que poderão fazer cursos de capacitação e participar de projetos esportivos, além de contar com o suporte de uma equipa composta por psicólogos e assistentes sociais.

Durante o evento de inauguração, Bruno Reis destacou a ampliação dos investimentos municipais na área de assistência social. “Revolucionamos a área social de Salvador. Realizamos chamamentos públicos para fazer parcerias com instituições, oferecemos serviços para o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários”, pontuou.

Titular da Sempre, Ana Paula Matos, afirmou que a nova UAI vai mudar “a trajetória das famílias acolhidas e dar esperança a essas pessoas”. “Muitas vezes a assistência social chega no momento de maior dor. Queria ajudar uma instituição de uma mulher forte, que ajuda outras mulheres. Vera [diretora da unidade] é uma mulher que briga pelo que acredita. Convergimos no desejo de fazer o melhor para as pessoas. E tenho a certeza que essa nova unidade de acolhimento vai mudar a trajetória e dar a esperança a muitas pessoas”.

Lar Pérolas de Cristo
A Unidade de Acolhimento Família Pérolas faz parte do Lar Pérolas de Cristo, que já conta com duas unidades em funcionamento: uma para mulheres e outra para adultos com deficiência. Fundado em setembro de 1993, o Lar Pérolas de Cristo é uma organização não governamental, filantrópica, que oferece acolhimento provisório para crianças e adolescentes afastados do convívio familiar, por meio de medida protetiva.

A unidade acolhe ainda mulheres que sofreram violência sexual, física ou psicológica. Todas as crianças e adolescentes acolhidos são encaminhados para a instituição pelos Conselhos Tutelares, Ministério Público e Juizado da Infância e da Juventude.

PUBLICIDADE