Publicado em 14/01/2020 às 21h20.

Crea monta força-tarefa para percorrer Salvador com ações de fiscalização

Vistorias ocorrem até 24 de janeiro, verificando competência dos profissionais contratados, além outras possíveis irregularidades

Rayllanna Lima
Foto: Divulgação/Ascom
Foto: Divulgação/Ascom

 

As obras que estão sendo realizadas em Salvador e região metropolitana começaram a ser fiscalizadas na segunda-feira (13) pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA).

A entidade montou uma força-tarefa com 20 fiscais e vai fiscalizar, até o próximo dia 24, a competência dos profissionais contratados para as obras, bem como outras possíveis irregularidades.

À reportagem, o engenheiro civil e presidente do Crea-BA, Luis Edmundo Campos explicou que a ação tem foco educativo e visa mais regularizar as construções do que multar responsáveis por irregularidades.

“Durante essas duas semanas, estaremos percorrendo a cidade, fiscalizando as obras, se as pessoas estão habilitadas a atuar. O que queremos não é uma questão de multar, mas sim regularizar. A gente quer que as pessoas tenham assistência de profissionais qualificados, para que não possa por em risco sua vida, seja ela na parte de construção, seja na parte de alimentação, ou em qualquer parte que envolva engenharia, agronomia e geociências. A gente tem visto aí diversas situações de casas, prédios caindo. E geralmente isso ocorre por falta de profissionais habilitados”, disse.

Para fortalecer a atuação nas ruas, a entidade tem investido em tecnologia. Recentemente, passou a trabalhar na criação de um grande banco de dados, junto com outros órgãos, a fim de facilitar as irregularidades nas ruas. A medida visa “dar uma maior tranquilidade à sociedade”, segundo Campos.

“A gente quer fazer uma central de informações. Estamos fazendo parcerias com diversos órgãos, como a Coelba, a Embasa, para que a gente possa ter informações, como por exemplo, se a gente for a um local e detectou um vazamento, poderia também informar isso à Embasa durante a vistoria. Se está verificando que tem ligações perdendo muita energia, orientar a Coelba para que possa fazer um apoio e educação naquele local”, detalhou.

Segundo o coordenador de fiscalização, Augusto Câmera, o foco é alcançar áreas ainda não fiscalizadas ou fiscalizadas há mais de um ano. “Além da necessidade de apoiar os fiscais da região, também realizaremos outras diligências”.

Salvador possui mais de 45 mil profissionais e 3.794 empresas registradas no Conselho, o que justifica a operação, segundo a entidade, principalmente devido a “dimensão econômica e predominância de atividades voltadas às áreas de Civil, Elétrica e Mecânica”. 

Outras ações de fiscalização devem ocorrer ao longo do ano, com focos diversos, inclusive na saúde. “Queremos fiscalizar os hospitais. E também teremos uma ação com foco no ar-condicionado”, disse o engenheiro, que completou acrescentando outras iniciativas que estão sendo adotadas pelo Crea-BA.

“A gente quer implementar nos cursos de Engenharia, Agronomia e Geociências algo similar ao que existe em Direito. Por exemplo, não se existe um curso de Direito sem um escritório de Práticas Jurídicas. E na Engenharia não tem isso. A gente está motivando as universidades, as faculdades, para que cada curso possa ter um escritório de assistência técnica, e esse escritório venha a atender a população de baixa renda. O importante é atuar junto com a sociedade, para que a sociedade tenha segurança no que constrói”.

PUBLICIDADE