Publicado em 07/12/2015 às 12h29.

Terça é dia de homenagens para a padroeira da Bahia

Fieis católicos reverenciam Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro do Comércio

Redação

Realizada há mais de 400 anos, a festa em louvor à Nossa Senhora da Conceição da Praia, padroeira da Bahia, é realizada nesta terça-feira (8), com o tema Nossa Senhora da Conceição da Praia nos aponta: Jesus Cristo, o rosto da misericórdia do PaiA celebração religiosa acontece na Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, e dá seguimento ao calendário de festas populares do estado, iniciado na última sexta-feira (4), com a Festa de Santa Bárbara.

O novenário preparatório teve início no dia 29 de novembro e segue até esta segunda-feira (7), sempre às 19h30. Nesta terça-feira, a programação em homenagem à padroeira da Bahia começa às 5h, com a realização da primeira missa, seguida por celebrações às 6h, 7h e 9h, com a missa solene sendo presidida pelo arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, dom Murilo Krieger. Às 10h30, ocorre o ponto alto das homenagens, com a saída da procissão, do Comércio, até a Praça Conde dos Arcos, retornando pela Avenida da França até a Basílica.

Já às 12h30, uma missa fecha as celebrações na parte da manhã. À tarde, acontecem celebrações às 14h e 15h30. Às 18h, a programação religiosa é encerrada com a Missa da Amizade. A parte profana da festa acontece nas imediações do Mercado Modelo, com barracas de comidas típicas e bebidas e música.

História – A devoção à Nossa Senhora da Conceição remete à própria origem de Salvador, pois a imagem da santa foi trazida por Tomé de Sousa. Foi o primeiro governador-geral do Brasil quem mandou construir uma igreja de taipa em louvor a Nossa Senhora da Conceição, a fim de colocar ali a imagem da virgem que ele havia trazido de Portugal.

As pedras com as quais foi construída a atual igreja, elevada à categoria de basílica em 1946, foram todas trazidas de Portugal. No ano de 1938, o conjunto da Conceição da Praia foi tombado como patrimônio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). No ano de 2010, o cardeal dom Geraldo Majella Agnelo elevou a igreja ao status de Santuário Mariano Arquidiocesano.