Publicado em 24/06/2022 às 19h40.

Em junho, prévia da inflação na RMS é a mais alta do país, diz IBGE

Prévia chegou a 1,16%

Redação
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

 

Em junho, a prévia da inflação na Região Metropolitana de Salvador (RMS) chegou a 1,16% e foi a mais alta do país, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta sexta-feira (24).

Na RMS, o indicador apresentou uma leve aceleração em relação ao mês anterior (havia sido de 1,15% em maio) e foi o maior para um mês de junho em 22 anos, desde o início da série histórica para o IPCA-15 regional, no ano 2000.

Foi ainda o mais alto dentre as 11 áreas pesquisadas separadamente pelo IBGE. No Brasil como um todo, a prévia da inflação de junho ficou em 0,69%, com altas em todos os locais.

Com o resultado de junho, o IPCA-15 acumula alta de 6,51% no ano de 2022, na RMS. Este índice também é o mais elevado dentre os 11 locais pesquisados e acima do registrado no Brasil como um todo (5,65%).

Gasolina e energia puxam prévia da inflação

O IPCA-15 de junho na Região Metropolitana de Salvador (1,16%) foi resultado de aumentos nos preços médios de todos os nove grupos de produtos e serviços que formam o índice.

Os grupos transportes (2,90%) e habitação (1,35%) foram os que mais contribuíram para a alta do IPCA-15 de junho na RM Salvador.

Por outro lado, o grupo alimentação (0,36%), apesar de apresentar alta, foi um dos que desaceleraram frente a maio (aumentaram menos), quando havia sido a principal pressão inflacionária na RMS (1,76%).

O principal motivo dessa desaceleração foi a queda nos preços dos tubérculos, raízes e legumes (-7,08%), em especial, da cenoura (-20,84%), que foi o item com a maior queda absoluta na RMS em junho.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.