Publicado em 13/11/2015 às 17h43.

Protesto em Salvador pede cassação de Eduardo Cunha

Segundo estimativas da Polícia Militar, cerca de 300 manifestantes foram ao centro da cidade protestar

Julio Reis

Cerca de 300 manifestantes fazem um protesto na tarde desta sexta-feira (13), do Campo Grande à Praça Castro Alves,  contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), que enfrenta uma série de denúncias envolvendo corrupção  e lavagem de dinheiro. Ele está sendo investigado pela Operação Lava Jato.

A estudante Gabriela Santos, 25, militante do movimento Marcha Mundial das Mulheres, participou da passeata por entender que Eduardo Cunha representa um dos principais inimigos do povo. “Opera vários projetos dentro do Congresso que ataca os direitos dos trabalhadores e trabalhadores. E um dos problemas da corrupção é oriundo do nosso sistema. A saída de Eduardo é um passo para essa mudança”, disse.

Com faixas, cartazes e gritos de ordem, os manifestantes pedem a cassação do mandato do deputado federal, eleito pelo Rio de Janeiro. Há ainda quem peça “cadeia” para o peemedebista, que além de negar as contas na Suíça-  abastecidas, segundo as investigações, com dinheiro proveniente de propinas da Petrobras – apresenta e aprova projetos na Câmara considerados polêmicos e retrógrados. Cunha também é criticado por realizar manobras para aprovar projetos de interesses pessoais, e levar matérias para a votação no chamado “tratoraço”.

Manifestantes criticam posicionamento não-laico de Cunha
Manifestantes criticam posicionamento não-laico de Cunha

Recentemente, ele apresentou polêmico Projeto  de Lei 5.069/13. O texto dificulta abortos por mulheres vítimas de estupro. No projeto, a vítima é obrigada a registrar boletim de ocorrência em delegacia policial para comprovar a violência sexual. Na manifestação, um dos cartazes estampava a frase ”Meu útero não é dinheiro na Suíça para ser da sua conta”.

Histórico – Conforme o  procurador-geral da República,Rodrigo Janot,  Cunha recebeu propina de cerca de 5 milhões de dólares. O valor seria para viabilizar a construção de dois navios-sondas da Petrobras, entre junho de 2006 e outubro de 2012.

Em recentes entrevistas à imprensa, o presidente da Câmara alegou ser “usufrutuário” das contas. Há dois dias, ele perdeu o apoio do PSDB na Câmara, que até pouco tempo era aliado do deputado.

Projeto de Cunha que dificulta aborto em caso de estupro é criticado
Projeto de Cunha que dificulta aborto em caso de estupro é criticado