Publicado em 20/05/2022 às 21h20.

Secretário da Educação diz que greve dos professores acontece em um momento inadequado

Segundo Marcelo Oliveira, os estudantes já foram privados do estudo pelos dois anos sem aulas presenciais e, com a paralisação, terão ainda mais perdas

Redação
Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

 

O secretário da Educação de Salvador, Marcelo Oliveira, disse nesta sexta-feira (20) que “a greve acontece num momento inadequado” e que os alunos são os maiores prejudicados pela paralisação, iniciada nesta quinta-feira (19). Segundo ele, os estudantes já foram privados do estudo pelos dois anos sem aulas presenciais e, com a paralisação, terão ainda mais perdas no processo de aprendizagem.

“Nós temos feito um esforço imenso para trazer as crianças de volta para as escolas, depois de dois anos com as aulas presenciais suspensas. Houve nesse período um prejuízo enorme para o aprendizado, e agora temos um desafio muito grande para resgatar e recompor essa aprendizagem. Não é uma tarefa fácil. Essa greve acontece num momento completamente inoportuno, um momento importante para os estudantes, que já sofreram na pandemia e são agora os grandes prejudicados”, salientou.

O gestor municipal ressaltou ainda o esforço feito pela prefeitura para levar as crianças de volta para as escolas após o retorno das atividades presenciais nas unidades de ensino, com o arrefecimento da pandemia. Ele diz que “a greve acontece num momento inadequado” devido justamente a este retorno recente das aulas presenciais e o aumento da frequência dos alunos nas escolas.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.