Publicado em 13/12/2019 às 15h26.

Sindicato faz manifestação após assassinatos de quatro motoristas de aplicativo

"Isso é algo que ocorre sempre, é corriqueiro, mas o governo não faz nada", diz Átila Santana, líder da categoria, ao bahia.ba

Chayenne Guerreiro
Chayenne Guerreiro/bahia.ba
Chayenne Guerreiro/bahia.ba

 

Motoristas de transporte por aplicativo fazem uma manifestação neste momento em frente à unidade central da Polícia Civil, na Praça da Piedade, por causa do assassinato de quatro profissionais, cujos corpos foram encontrados na manhã desta sexta-feira (13), no bairro Santo Inácio, em Salvador.

De acordo com a polícia, os corpos de Alisson Silva Damascena dos Santos, 27 anos; Sávio da Silva Dias, 23 anos; Daniel Santos da Silva, 30 anos; e de uma vítima ainda sem identificação foram abandonados dentro de sacos plásticos, próximos de um carro que foi roubado na localidade conhecida como Paz e Vida.

O presidente do Sindicato dos Motoristas por Aplicativo e Condutores de Cooperativas do Estado da Bahia (Simactter-BA), Átila Santana, disse ao bahia.ba que “a insegurança vivida pelos motoristas é algo corriqueiro”.

“Eles foram chamados por aplicativo e foram mortos. Isso é algo que ocorre sempre, é corriqueiro, mas o governo não faz nada. Não fui procurado pelo secretário de Segurança Pública nem por ninguém do governo. Vamos ficar aqui na frente até alguém nos atender. Eles precisam olhar para nossa categoria. São cinco homicídios dentro de 45 dias”, afirmou Átila.

A assessoria da SSP disse ao bahia.ba que ainda não recebeu nenhuma solicitação de reunião por parte da categoria.

A Delegacia de Homicídios Múltiplos, vinculada à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), investiga a motivação e a autoria dos crimes. Ainda de acordo com a DHPP, os motoristas foram acionados, um a um, via aplicativo. Além das vítimas fatais, um quinto motorista foi chamado e chegou perto do local, mas conseguiu se livrar da emboscada. As vítimas tinham marcas de golpes de facão pelo corpo.

 

Temas: atila , mortos , motoristas , SSP , Uber