Publicado em 10/09/2019 às 10h20.

Tinoco pede que Estado desista de Centro de Convenções no Comércio

Secretário municipal assinou contrato de concessão de novo equipamento com empresa francesa nesta terça (10)

Matheus Morais / André Carvalho
claudio tinoco
Foto: Matheus Morais/Bahia.Ba

 

O secretário de Cultura e Turismo de Salvador Cláudio Tinoco pediu nesta terça-feira (10), durante evento realizado no local em que está sendo construído o novo Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio, que o governo do Estado recue na intenção de construir um outro equipamento destinado ao recebimento de grandes eventos na cidade. Para Tinoco, “não existe demanda hoje para um segundo centro de convenções” em Salvador, que seria erguido no Comércio.

A declaração se deu durante a cerimônia que marcou a assinatura do contrato de concessão do Centro de Convenções de Salvador (CCS) por 25 anos à empresa francesa G.L. Events. O prefeito ACM Neto (DEM) também esteve presente no evento e anunciou que o local será palco da Bienal do Livro de 2020.

Tinoco afirmou que hoje há uma demanda reprimida na capital baiana no que tange o recebimento de grandes eventos, mas que será devidamente atendida com a inauguração do Centro de Convenções construído pela Prefeitura de Salvador, sem a necessidade de uma segunda construção.

“Não existe demanda hoje para um segundo Centro de Convenções e faço essa afirmação com conhecimento do histórico de Salvador e da Bahia como terceiro destino turístico na atração de eventos nacionais e internacionais”, disse o secretário ao Bahia.ba. Tinoco aproveitou para convidar o governador Rui Costa e o secretário da Casa Civil do governo da Bahia Bruno Dauster para acompanhar o andamento da construção do equipamento. “Conhecendo a qualidade das obras, quem sabe eles não desistem [de construir um novo centro]”, afirmou.

Para Tinoco, seria melhor que o Governo do Estado priorizasse a requalificação da área ao entorno do Centro de Convenções de Salvador. “O Estado poderia se juntar à Prefeitura fazendo com que aqui no entorno nós tivéssemos outros equipamentos, como o Parque de Pituaçu, o Parque da Costa Azul ou mesmo o Parque do Abaeté requalificado, somando a esse espaço aqui que atende, sim, à demanda pelos congressos e convenções”, disse.

A previsão de entrega do novo equipamento está previsto para dezembro deste ano. A empresa francesa investirá R$ 10 milhões em outorga fixa, a ser pagas em duas parcelas. Após seis anos, a empresa realizará o pagamento de 5% de outorga variável sobre a receita bruta.

Em junho, o governador Rui Costa (PT) reafirmou a intenção de construir um Centro de Convenções no Comércio. “Ao mostrar a Bahia e Salvador, 10 de 10 opiniões apontaram um lugar para construir o Centro de Convenções aqui, que é o Centro Antigo de Salvador, e esse lugar é o Comércio”, declarou o chefe do Executivo baiano há época.

PUBLICIDADE