Publicado em 09/04/2016 às 07h40.

Vacinas contra H1N1 esgotam em clínicas privadas

Campanha nacional de vacinação contra a gripe, incluindo a variedade H1N1, começa no dia 30 de abril

Redação
Foto: Reprodução/ EBC
Foto: Reprodução/ EBC

Uma procura elevada  levou ao esgotamento da vacina contra diferentes tipos de gripe, que garante imunização inclusive para o vírus H1N1 nas clínicas da rede particular de Salvador. Sem lista de espera ou reserva de lotes, a maior parte dos interessados na vacina faz pesquisas diárias em busca da vacina e aposta na sorte para conseguir se prevenir da gripe. A campanha nacional de vacinação começa a partir do dia 30 de abril, mas é voltada apenas para grupos mais vulneráveis da população.

E nem mesmo o preço elevado da vacina afasta os interessados na prevenção da H1N1, principal temor entre os tipos ativos de gripe. O valor varia entre R$ 90 e R$ 100, para a proteção  trivalente, que protege contra os vírus Influenza A H1N1 e H3N2 e o Influenza B do subtipo Brisbane. Já a  vacina tetra ou quadrivalente, que protege contra todos os vírus da trivalente mais o Influenza B do subtipo Phuket é oferecida entre R$ 130 e R$ 140.

Conforme uma pesquisa produzida pelo jornal Correio, os lotes de vacina recebido por cinco clínicas de Salvador se esgotou rapidamente, em uma dessas clínicas, foi consumida 3 mil vacinas em um prazo de 48 horas.  De acordo com as unidades de saúde, a chegada de um novo lote da vacina, uma vez que a distribuição é feita a nível nacional.

De acordo com a Secretária de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), do dia 1º de janeiro deste ano até a última quarta-feira (6), 11 casos de influenza A (H1N1) já foram confirmados este ano no estado. Desse total, três pessoas morreram. O número já é maior que todo o ano passado, quando houve apenas um caso notificado e nenhuma morte.

Campanha nacional- A campanha de vacinação contra a gripe, incluindo a variedade H1N1, começa em todo o país no dia 30 de abril, terminando no dia 20 de maio. O primeiro dia da campanha é de mobilização nacional. Porem, a vacinação gratuito nos postos de saúde não é liberada para toda a população. O alvo da campanha são os grupos mais vulneráveis: crianças até 5 anos idade, idosos acima de 60 anos, gestantes, portadores de doenças crônicas, profissionais de saúde e presos.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.