Publicado em 13/02/2020 às 21h00.

Cai de 11 para seis os casos suspeitos de coronavírus no Brasil

Ministério da Saúde seis casos foram descartados e um incluído, de ontem para hoje

Redação
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Seis pessoas são acompanhadas por suspeita de ter o coronavírus, o Covid-19, no Brasil. Os números foram atualizados nesta quinta-feira (13) pelo Ministério da Saúde, que nessa quarta (12) havia informado ao todo 11 casos.

Conforme anúncio de hoje, seis suspeitas foram destacadas – sendo três em São Paulo, dois no Rio de Janeiro e um em Minas Gerais. Somou-se aos suspeitos um novo caso, identificado no Rio Grande do Sul.

Mesmo com a queda, o Ministério não desconsiderou a possibilidade de surto. Segundo o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, a escala de contaminação, embora lenta, pode chegar no país. Ele também considerou a possibilidade do aumento nos casos da China e em outros país surtir efeito no Brasil.

Bahia
Secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas Boas defende que o “alvoroço” causado em todo o mundo pelo novo coronavírus, o Covid-19, não se justifica. O gestor, que participa do lançamento oficial da programação do governo para o Carnaval 2020 argumenta que o vírus tem “letalidade baixa”.

“Apenas 2% das pessoas morrem. Esse coronavírus, que é um coronavírus novo, porque existem outros, não foi detectado, ficou preso na China. Ninguém descobriu e ele está causando esse alvoroço todo. Mesmo quando ele vier, não é pra ficar apavorado”, comentou.

Vilas Boas argumentou ainda que a capacidade de transmissão do coronavírus é ainda menor que a de uma gripe normal. “Se o sarampo contamina 18 pessoas, esse vírus contamina 1,7, um vírus da gripe normal contamina 1,8”.

E completou: “Há um controle mundial das cepas virais que circulam nos pássaros, nos corpos. Todo ano, ao longo do ano, eles preparam coquetel da vacina do vírus da gripe daquele ano”.

Na província chinesa de Hubei, centro da epidemia do novo coronavírus, aumentou para 242 nas últimas 24 horas e mais do que duplicou relativamente ao dia anterior.

PUBLICIDADE