Publicado em 23/03/2020 às 07h16.

Fapesp vai financiar pesquisas para o combate ao novo coronavírus

Expectativa é mobilizar pesquisadores a trabalhar no desenvolvimento de testes diagnósticos, terapias e procedimentos terapêutic

Redação
Diagnóstico laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (Foto: Josué Damacena/Fiocruz)
Diagnóstico laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (Foto: Josué Damacena/Fiocruz)

 

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) anunciou que vai financiar pesquisas de combate ao novo coronavírus (Covid-16) com um aporte de R$ 30 milhões.

O objetivo é estimular micro e pequenas empresas a desenvolver projetos que resultem em inovações tecnológicas voltadas ao diagnóstico e tratamento dos doentes.

Para isso, estão sendo lançados dois editais. Na primeira chamada, a fundação irá disponibilizar R$ 10 milhões para projetos já em andamento.

Já na segunda chamada oferece uma linha especial de financiamento no valor de R$ 20 milhões para apoiar micro e pequenas empresas e startups que atuem com inovação, fornecendo por exemplo kits diagnósticos, ventiladores pulmonares, equipamentos de proteção aos profissionais de saúde e demais soluções tecnológicas.

“O combate a epidemias e doenças em geral é sempre um processo complexo, que exige ações técnicas, pessoal treinado e decisões políticas fundamentadas na ciência. Os dois editais emergenciais da Fapesp se destinam a financiar o desenvolvimento de boas ideias para o combate à epidemia, tanto no que diz respeito ao conhecimento científico relativo ao agente, seus efeitos no organismo e tratamentos, como em seus aspectos tecnológicos, em especial à criação de produtos e serviços que melhorem a nossa capacidade de reação”, explica o presidente da fundação, Marco Antonio Zago.

A expectativa é mobilizar pesquisadores do Estado de São Paulo a trabalhar no desenvolvimento de testes diagnósticos, terapias e procedimentos terapêuticos, no estudo de aspectos críticos da infecção viral, na pesquisa em procedimentos clínicos, na identificação e avaliação das respostas imunes, nas investigações epidemiológicas e na pesquisa sobre a contenção e minimização de comportamentos contraproducentes para a epidemia, entre outros desafios que cercam a COVID-19.

Os projetos de pesquisa devem ter duração de 24 meses e o valor máximo de cada proposta será de R$ 200 mil. O prazo para submissão de projetos vai até 22 de junho de 2020.