Publicado em 30/11/2020 às 11h13.

Black Friday: Procon-BA encontra irregularidades em 56 estabelecimentos

Arbitrariedades foram identificadas em 27 estabelecimentos físicos e em 29 lojas virtuais

Redação
Foto: Michele Brito/Ascom
Foto: Michele Brito/Ascom

 

Durante as fiscalizações feitas na Black Friday, realizada na última sexta-feira (27), o Procon-BA (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor da Bahia) vistoriou lojas de departamento, cosméticos, calçados, conferindo preços e exposição de produtos.

Neste ano, nas operações de fiscalizações voltadas a Black Friday, 75 lojas físicas foram fiscalizadas, sendo que 27 apresentaram irregularidades (produtos sem preço ou sem preço visível, produtos vencidos, produtos de amostra vencidos/sem validade). Já nas lojas virtuais, 87 sites foram fiscalizados e 29 apresentaram irregularidades.

Segundo o diretor de fiscalização do órgão da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS), as infrações mais comuns são a publicidade omissa ou enganosa; a exposição de produtos sem preço em vitrine interna, externa e dentro da loja; a falta do Código de Defesa do Consumidor (CDC) em local visível e acessível; entre outras.

“Esse ano a expectativa é de que os problemas tenham diminuído, que os fornecedores cumpram, de fato, com os descontos anunciados na Black Friday. Caso contrário, as empresas que apresentarem irregularidades, como práticas abusivas de vendas casadas, propagandas enganosas, entre outras, sofrerão procedimentos administrativos”, afirmou Iratan Vilas Boas.

Ainda de acordo com o diretor de fiscalização, além da ausência de preços e do CDC, alguns comerciantes praticam fraudes. “Uma delas é a chamada ‘Black Fraude’, quando o fornecedor eleva o preço do produto antes do evento promocional e abaixa no momento promocional, para dar ao consumidor uma falsa sensação de promoção. Estamos de olho”, sinalizou.

O órgão reforça a importância do consumidor participar da fiscalização do Procon, fazendo denúncia pelo aplicativo (Procon BA Mobile), gratuitamente. Isso fará com que o órgão tome conhecimento mais rápido da prática abusiva e tome providência para que esse fornecedor pare de cometer essas irregularidades. O consumidor também pode denunciar por meio do e-mail: denuncia.procon@sjdhds.ba.gov.br.

Mais notícias