Publicado em 21/02/2019 às 17h08.

Lama tóxica da Samarco atingiu corais do arquipélago de Abrolhos, diz estudo

Relatório aponta a incorporação de zinco e cobre, entre outros elementos, decorrentes do rejeito da barragem em Minas

Redação
Foto: Divulgação / Projeto Baleia Jubarte
Foto: Divulgação / Projeto Baleia Jubarte

 

 

Os corais do Parque Nacional dos Abrolhos, na Bahia, foram contaminados com o vazamento da barragem da Samarco, que aconteceu em Mariana (MG), em novembro de 2015. É o que aponta pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), revelada nesta semana.

As informações são do site Brasil de Fato.

Em um relatório de quase 50 páginas, os pesquisadores detalham a presença de metais no arquipélago de Abrolhos. O documento aponta a incorporação de zinco e cobre, entre outros elementos, decorrentes do rejeito da barragem em Minas.

O estudo foi realizado em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e a Universidade Federal Fluminense (UFF).

O coordenador da pesquisa, Heitor Evangelista, lançou uma página no Facebook para acompanhar a dispersão da lama tóxica até o mar. Por meio do monitoramento, os pesquisadores foram alertados sobre a possibilidade de contaminação do arquipélago, a 250 km da foz do Rio Doce.

O relatório final foi encaminhado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), órgão do Ministério do Meio Ambiente.

PUBLICIDADE