Publicado em 16/12/2015 às 08h21.

Número de casos suspeitos de microcefalia quase dobra na Bahia

Já são 316 casos registrados em 60 municípios com sete mortes registradas ; grávidas receberão repelentes

Redação
Bebês estão com novos sintomas, que possivelmente tem relação com a zika. (Foto: Fotos Públicas)
Imagem: Fotos Públicas

O número de notificações ou casos suspeitos de microcefalia na Bahia foi elevado para 316, de acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, nesta terça-feira (15). O estado continua em terceiro no ranking nacional, mas o número de notificações de microcefalia relacionada ao Zika vírus era de 180 até então.

Ao todo, 60 municípios baianos tiveram casos notificados. Sete mortes foram registradas na Bahia por microcefalia. A investigação dos casos é feita em conjunto com gestores de Saúde de estados e municípios.

Até o último dia 12, foram notificados 2.401 casos suspeitos de microcefalia no país. Destes, 134 foram confirmados e 2.165 ainda estão sendo investigados.
A Bahia permanece como o terceiro estado com maior número de casos suspeitos, são 316 até o momento. Pernambuco e Paraíba lideram a lista de ocorrências com 874 e 322 casos, respectivamente.

Repelentes- Durante a coletiva de imprensa, o MS anunciou também que irá distribuir repelentes a gestantes, com o objetivo de evitar a contaminação pelo mosquito Aedes aegypti. Conforme o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, a distribuição deve ser iniciada até o fim de fevereiro, período em que o Aedes – vetor da dengue, chikungunya e do Zika vírus – atinge pico de proliferação.
O ministério ainda irá avaliar, junto às empresas produtoras de repelentes, os preços e possíveis prazos para atender à medida.

Notícias relacionadas