Publicado em 02/07/2020 às 07h57.

Rui Costa sobre 2 de Julho: ‘Não teremos festa, mas nunca faltará coragem’

Pela primeira vez na história, Independência da Bahia não será comemorada com tradicional cortejo cívico, devido a pandemia do novo coronavírus

Rayllanna Lima
Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Roberto Viana/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT) começou esta quinta-feira celebrando o Dois de Julho, que marca os quase 200 anos da Independência da Bahia.

Nesta data, milhares de baianos estariam ao longo do dia reunidos pelas ruas do Centro Histórico, realizando e acompanhando atos políticos e manifestações artísticas.

O que, pela primeira vez na história, não ocorrerá, devido a pandemia do novo coronavírus, que provoca a Covid-19.

“Este ano, não teremos festa, mas nunca nos faltará coragem e sabedoria para superar os desafios. A guerra contra a #Covid19 será mais uma a ser vencida pelos baianos e baianas”, escreveu o governador, em publicação no Twitter.

A data será comemorada este ano com mobilizações por meio das redes sociais. Mas, apesar de não haver cortejo cívico, atos comemorativos simbólicos serão realizados no Largo da Lapinha, com o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia e de Salvador.

Com restrição ao público em geral, o ato terá a presença do governador, junto com o prefeito ACM Neto (DEM) e demais personalidades políticas.

O desfile cívico é tradicionalmente uma espécie de termômetro de popularidade de políticos em anos eleitorais, o que certamente fará falta a candidatos que tentaram pleitear na eleição deste ano.