Publicado em 17/04/2019 às 18h23.

Fazendeiro que ordenou morte de Dorothy Stang é preso

Conhecido como "Taradão", Regivaldo Pereira Galvão foi localizado em sua residência, em Altamira, no Pará

Redação
Especial 10 anos da morte da missionária Irmã Dorothy Stang
Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

 

Condenado pela morte da missionária Dorothy Stang, ocorrida em 2005, no Pará, o fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão foi preso nesta terça-feira (16), informa a Folha. A pena inicial, de 30 anos, foi diminuída para 25 anos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Conhecido como “Taradão”, o fazendeiro foi localizado em sua residência, no bairro Jardim Independente I, em Altamira, e levado para a sede da Superintendência Regional da Polícia Civil.

Em seguida, foi entregue à triagem do sistema penal de Altamira, que terá a função de encaminhá-lo ao Centro de Recuperação Regional da cidade.

Regivaldo estava livre por causa de um imbróglio jurídico. Em maio do ano passado, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu habeas corpus ao fazendeiro, com o argumento de que a lei não permitia prisão em caso de ação penal sem trânsito em julgado.

No entanto, em fevereiro deste ano, a Primeira Turma da Corte revogou a decisão liminar de Marco Aurélio. Em 2016, a maioria dos integrantes do Supremo considerou que réus podem ser presos após condenação, mesmo sem o julgamento definitivo de todos os recursos.

PUBLICIDADE

Mais notícias