Publicado em 15/08/2019 às 07h14.

MEC quer acabar com escola integral por convênio com faculdades

Pasta passará a dar bônus na avaliação de universidades que cederem espaços ociosos para alunos estudarem no contraturno

Redação
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

 

O Ministério da Educação anunciou que pretende acabar com o programa de ensino em tempo integral aplicado atualmente, informa reportagem da Folha de S. Paulo.

No lugar da iniciativa, segundo a publicação, a pasta passará a dar bônus na avaliação de universidades que cederem espaços ociosos para alunos do ensino básico estudarem no contraturno.

De acordo coma Folha, o Inep (instituto de pesquisa ligado ao MEC) já está mapeando as faculdades com laboratórios e outras instalações disponíveis, segundo o presidente do órgão, Alexandre Ribeiro Pereira Lopes.

O modelo valeria tanto para universidades públicas como para particulares. Aquelas que aceitarem ceder a capacidade ociosa para alunos do ensino básico estudarem receberão o que ele chamou de “bônus regulatório”, ou seja, uma nota extra nas avaliações do ensino superior.

A iniciativa vai substituir o atual Novo Mais Educação, programa que financiava o tempo integral em escolas municipais e estaduais, principalmente com atividades de português e matemática.

Embora seja uma promessa da gestão Jair Bolsonaro (PSL), o ensino integral sofreu esvaziamento em seu governo.

PUBLICIDADE