Publicado em 18/07/2019 às 20h40.

MPF denuncia 12 por corrupção em fundo de pensão dos Correios

Procuradores da força-tarefa Greenfield investigam pagamento de R$ 4 milhões em propinas

Redação
Foto: Elza Fiúza/Arquivo Agência Brasil
Foto: Elza Fiúza/Arquivo Agência Brasil

 

Doze pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) sob suspeita de corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro envolvendo o Postalis, fundo de pensão dos funcionários Correios

Segundo o jornal O Globo, as investigações são decorrentes da operação Greenfield.

De acordo com a publicação, procuradores apontaam a existência de pagamento de propina durante o processo de aquisição de títulos imobiliários oferecidos pela empresa JHSF Participações SA e pelo Banco Cruzeiro do Sul.

Conforme a força-tarefa, foram pagos cerca de R$ 2,7 milhões a Alexej Predtechensky (ex-presidente do fundo), Ricardo Oliveira (ex-diretor financeiro), Adilson Florêncio da Costa (ex-diretor executivo) e Nelson Luiz de Oliveira (ex-diretor dos Correios). O valor atualizado ultrapassaria os R$ 4 milhões.

O dinheiro recebido indevidamente era lavado por meio de simulação de importações de empresas de fachada, serviços de consultoria prestados por escritório de advocacia e doação a instituição religiosa.

O MPF informou que a denúncia aguarda o recebimento pela Justiça Federal. A força-tarefa pediu a condenação dos acusados e indenização no valor correspondente a dez vezes o montante recebido a título de propina.

PUBLICIDADE