Publicado em 10/02/2020 às 11h17.

Candidato questiona eleição do Rei Momo de Salvador: ‘Não cumpriu critérios’

O comerciante Dilson Chagas foi eleito como Rei Momo do Carnaval de Salvador 2020

Matheus Morais
Foto: Tiago Cruz/bahia.ba
Foto: Tiago Cruz/bahia.ba

 

Derrotado na eleição para Rei Momo do Carnaval de Salvador de 2020, Renildo Barbosa publicou uma carta aberta em suas redes sociais questionando a escolha do comerciante Dilson Chagas como o novo comandante da folia momesca.

Segundo Barbosa, Chagas usou uma roupa que “usa há mais de 5 anos e tênis. Leu um discurso enviesado, tremendo e chorando. Repetiu várias vezes que era candidato há 9 concursos e esta seria a décima tentativa”.

“Ele não entregou música no prazo até quinta passada e usou a banda para tocar na apresentação. Ou seja: não levou torcida, não teve fantasia, não levou música e leu um texto como discurso”, escreveu.

“Todos os outros 5 candidatos cumpriram todas as tarefas. Será um convite a não cumprir o regulamento?”, questionou.

Renildo Barbosa, que foi eleito como um dos guardiões do Rei Momo, pediu ainda que as notas dadas aos candidatos sejam divulgadas. Segundo ele, Dilson Chagas não cumpriu os critérios estabelecidos pelo concurso.

“Seria muito interessante divulgar as notas dadas a todos. O acréscimo da nota dos alimentos nas notas. Provar que o candidato escolhido não foi beneficiado por nenhuma força externa, por nenhuma mobilização política partidária. Respeito e estimo a organização do concurso, que não participou do Júri, porém ao lado dos jurados haviam pessoas incentivando a escolha de um candidato que não cumpriu os critérios”, ressaltou.

No total, seis candidatos participaram da disputa. Dilson, que já foi Rei Momo cinco vezes em Feira de Santana e uma vez em Alagoinhas, vai receber em 2020, as chaves da cidade das mãos do prefeito ACM Neto na abertura oficial da folia, na quinta-feira (20), primeiro dia oficial do Carnaval.

 


Ver essa foto no Instagram

Carta aberta do Rei Momo Renildo Barbosa Diante da repercussão da minha torcida, dos (as) amigos (as) e apoiadores da escolha do Rei Momo 2020, sinto-me na obrigação de dar algumas informações. Dos critérios do regulamento que assinamos para o resultado final temos muitas dúvidas se foram observados por todos integrantes Júri: – Desenvoltura; Apresentação; Discurso; Torcida; Fantasia; Este ano tivemos 6 candidatos, número reduzido em relação ao ano anterior com 16 postulantes. Todos os candidatos investiram em fantasias e mobilização. Buscaram alimentos para troca de ingressos e participação de amigos (as). Com exceção do candidato escolhido. Usou uma roupa que usa há mais de 5 anos e tênis. Leu um discurso enviesado, tremendo e chorando. Repetiu várias vezes que era candidato há 9 concursos e esta seria a décima tentativa. Não entregou música no prazo até quinta passada e usou a banda para tocar na apresentação. Ou seja: não levou torcida, não teve fantasia, não levou música e leu um texto como discurso. Todos os outros 5 candidatos cumpriram todas as tarefas. Será um convite a não cumprir o regulamento? O resultado final pode ter sido a vontade do júri, não sei analisando o que. Quais critérios ? Só sei que não foram os critérios do regulamento. Chorar e enumerar anos que participou e não foi escolhido não pode ser a motivação dos jurados para dar o título de Rei Momo. Seria muito interessante divulgar as notas dadas a todos. O acréscimo da nota dos alimentos nas notas. Provar que o candidato escolhido não foi beneficiado por nenhuma força externa, por nenhuma mobilização política partidária. Respeito e estimo a organização do concurso, que não participou do Júri, porém ao lado dos jurados haviam pessoas incentivando a escolha de um candidato que não cumpriu os critérios. As torcidas ontem se uniram, principalmente as de Neto, Alan e a minha para perguntar por que foi assim. Respondi que não sabíamos e que sairíamos dali tão Reis como entramos. Que estávamos orgulhosos da presença deles. Mas, ainda estamos em busca do critérios do regulamento objetivamente aplicados na análise, pois não encontrei até agora.

Uma publicação compartilhada por Renildo Barbosa (@renildobarbosa) em

 

PUBLICIDADE