Publicado em 23/10/2021 às 08h30.

Eletrobrás: 14 bancos se candidatam a coordenar venda de ações

Privatização da estatal de energia tem a expectativa de movimentar cerca de R$ 103 bilhões

Redação
Foto: assessoria/Eletrobras
Foto: assessoria/Eletrobras

 

A Eletrobras recebeu proposta de 14 bancos para coordenar a ofertas de ações de uma empresa brasileira. A privatização da estatal de energia tem a expectativa de movimentar cerca de R$ 103 bilhões. As informações são da Exame.

A butique de banco de investimento Laplace Finanças foi contratada como assessora da Eletrobras na transação, na qual o governo brasileiro pretende vender seu controle da empresa no mercado. A intençaõ dos organizadores da oferta de ações é escolher quatro coordenadores globais e mais um banco que vai focar na distribuição para o varejo.

O plano é fazer uma primeira oferta de R$ 23 bilhões em novas ações com direito a voto a ser emitidas pela companhia em um aumento de capital provavelmente no início do ano que vem, segundo o BNDES. O governo não compraria ações e teria sua participação diluída.

Ofertas subsequentes seriam realizadas de ações já detidas pelo governo até que a sua fatia caísse para 45%, o que poderá acrescentar um volume de mais R$ 80 bilhões de reais à transação. Hoje a União, incluindo o BNDES, tem uma fatia de 61% na empresa.

No modelo aprovado no Conselho do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), o governo ficaria com uma “golden share”, o que lhe daria direito de veto. A operação ainda precisa ser aprovada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

 



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.