Publicado em 13/08/2019 às 21h40.

Justiça determina quebra de sigilo sobre bens de controladores da Odebrecht

Segredo havia sido determinado nos autos do processo de recuperação judicial que envolve 21 empresas da organização

Redação
Foto: Divulgação/Odebrecht
Foto: Divulgação/Odebrecht

 

O sigilo judicial sobre os bens particulares dos sócios controladores e dos administradores do grupo Odebrecht foi derrubado nesta terça-feira (13) pelo Tribunal de Justiça. A decisão judicial atende a uma solicitação feita pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social),

O segredo, segundo informações da Folha de S. Paulo, havia sido determinado nos autos do processo de recuperação judicial que envolve 21 empresas da organização, iniciada em 1944, e que hoje tem dívidas que totalizam R$ 98,5 bilhões.

Com a recuperação judicial, foram suspensas as execuções e a Odebrecht ganhou um fôlego para tentar se reestruturar e evitar a falência. O grupo terá de apresentar uma proposta de pagamento das dívidas, a ser aprovada pelos credores em assembleia.

Com a derrubada do sigilo, o desembargador Alexandre Lazzarini disse não ser plausível que os credores, que deverão votar na assembleia, não tenham acesso a todos os documentos do processo. Até então, as informações sobre os bens particulares estavam disponíveis apenas para o próprio juiz, para o Ministério Público e para a administradora judicial.

PUBLICIDADE