Publicado em 25/05/2020 às 18h00.

Petrobras planeja vender participação na Braskem até começo de 2021

Em transmissão da Genial Investimentos, o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, defendeu viabilidade do prazo

Redação
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Em transmissão da Genial Investimentos, o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, afirmou considerar viável a venda de toda a participação da companhia na Braskem até o final deste ano ou, no máxiomo, no início de 2021. “Não há sentido nenhum em a Petrobras ser sócia da Braskem. Primeiro, a Petrobras não é fundo de investimento. Nós não operamos a Braskem, temos apenas participação acionária”, argumentou o executivo.

O caminho para viabilizar o desinvestimento passa pela migração da Braskem ao Novo Mercado da bolsa B3, com conversão de todas ações da empresa em ordinárias.A mudança já está sendo conversada com o grupo Odebrecht, sócio-controlador da Braskem.

Em paralelo aos impactos da pandemia de coronavírus, que derrubou a demanda por combustíveis, a cotação do petróleo no mercado internacional vem sendo derrubada por uma disputa entre dois países megaprodutores: Rússia e Arábia Saudita. O cenário, segundo Castello Branco, fez a estatal brasileira fazer uma avaliação mais detalhada do portfólio.

Denominado stress-test, o trabalho envolve uma avaliação do risco, retorno e investimentos necessários de cada projeto. A ideia é financiar o desenvolvimento da petrolífera sem se alavancar “demasiadamente” como no passado, acrescentou o executivo. A reavaliação tem impactado também na política de preços, com recentes ajustes para cima.