Publicado em 18/04/2019 às 08h54.

Concurso Miss Brasil 2020 pode não ser realizado por impasse comercial

Ainda não há um acordo de renovação de contrato entre Polishop e a Band, empresas parceiras no evento

Redação
Foto: Cleiby Trevisan/Miss Brasil BE Emotion
Foto: Cleiby Trevisan/Miss Brasil BE Emotion

 

O concurso Miss Brasil pode não acontecer em 2020. Um impasse entre a Band e a Polishop, duas empresas parceiras no evento, pode impedir a competição que leva uma brasileira para o Miss Universo.

O contrato, firmado em 2014, tem duração de cinco anos, e portanto depende de uma possível renovação. De acordo com a Folha de S. Paulo, fontes próximas afirmam que está difícil chegar um acordo entre as duas partes. A band é a atual detentora do direito da franquia Miss Universo no Brasil.

Em entrevista concedida à Folha em março, o dono da Polishop, João Appolinário, disse que tinha interessa na renovação. Segundo ele, foram investidos R$ 35 milhões no evento, que ganhou a alcunha de Miss Brasil Be Emotion, para promover a marca de cosméticos da empresa.

“Conseguimos melhorar a imagem do concurso, que voltou a ter o glamour de antes, além de alcançar a exposição esperada da marca Be Emotion. A renovação deve começar a ser discutida com a Band agora, depois de concluirmos o evento da final. Mas, a princípio, do nosso lado deve se renovar sim”, disse Appolinário na época.

A última vencedora e atual dona da coroa de Miss Brasil é a influencer digital Júlia Horta, de 24 anos. Além da beleza, surpreendeu e convenceu os jurados com um discurso feminista.

PUBLICIDADE