Publicado em 20/12/2018 às 09h22.

Ronaldo Ésper diz que deixou de ser gay: ‘Fui amaldiçoado por uma tia’

Com história semelhante ao do deputado e Pastor Sargento Isidório, estilista que agora frequenta a Igreja Universal contou o caso em entrevista ao Pânico

Luiz Felipe Fernandez
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

 

O estilista Ronaldo Ésper surpreendeu ao declarar que não é mais gay. Assim como Pastor Sargento Isidório, deputado federal pelo Avante na Bahia, que se denomina como “ex-gay”, o apresentador diz que deixou de ser homossexual por meio da religião.

Frequentando há cinco anos a Igreja Universal do Reino de Deus, o estilista diz que a sua fé defende que a homossexualidade é uma “maldição que campa na família”. Uma das possíveis explicações para a sua vida pessoal, segundo ele, é a de que uma tia o amaldiçoou na infância.

“Você pode ser amaldiçoado por alguém, que foi o meu caso. Fui amaldiçoado por uma tia minha, esposa do meu tio, eu estava me afogando […] Não sei porquê essa mulher tinha alguma coisa comigo”, lembrou ele em entrevista ao Pânico nesta quarta-feira (19).

Atualmente no comando do quadro “Agulhadas”, no “Hoje em Dia”, da RecordTV, o apresentador garante que, no fundo, “não gostava” da vida sexualmente ativa como homossexual.

“Eu gostava da farra, daquela coisa toda. Até as pessoas que não eram gays acabavam entrando no embrulho, mas era uma coisa inocente”, disse Ésper, para o riso do apresentador Emílio Surita e demais integrantes da bancada do Pânico.

A sua conversão, segundo o estilista, teve significativa ajuda da mãe, católica fervorosa que na época tinha 95 anos, em uma época em que ele estava mal psicologicamente:

“Ela falou: ‘vai lá na Universal que você vai se ajeitar’ […] A Universal não é uma religião, é uma fé baseada na Bíblia, você segue pela obediência”.

Veja aqui:

PUBLICIDADE