Publicado em 24/09/2022 às 08h00.

Conselho do Bahia levará dois meses para avaliar SAF de R$ 1 bilhão

Proposta apresentada pelo grupo City prevê investir R$ 800 milhões obrigatórios em 15 anos e R$ 200 milhões em infraestrutura

Redação
Foto: reprodução TV Bahea
Foto: reprodução TV Bahea

 

O Conselho Deliberativo do Bahia deve apreciar durante dois meses a proposta do grupo City para comprar 90% da SAF do Esporte Clube Bahia. O conglomerado de clubes com sede na Inglaterra apresentou oficialmente a oferta na noite de  sexta-feira (23), em comunicado conjunto com a direção do clube baiano. Após análise dos conselheiros, que vão elaborar um parecer, os sócios decidirão se aceitam ou não a transformação do clube em empresa do tipo Sociedade Anônima do Futebol.

Pela proposta, o investidor aplicará até R$ 1 bilhão em 15 anos. Deste montante, R$ 300 milhões se destinam a quitar as dívidas da associação atuais e uma provisão para decisões judiciais onerosas futuras. Mais R$ 500 milhões serão investidos em contratação de atletas. Na SAF, o City Futebol Group ficará com 90% das ações e vai administrar os times masculino e feminino e a divisão de base.

Em live transmitida pelo canal do clube no Youtube, a partir das 21hs, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, esclareceu que um aporte de R$ 200 milhões não está previsto como obrigação contratual, mas é uma estimativa do CFG para aplicar em infraestrutura e capital de giro.

Confira abaixo a nota conjunta do Bahia e do CFG:
O Esporte Clube Bahia e o City Football Group confirmaram hoje (sexta, 23) que o CFG apresentou uma proposta para adquirir 90% do Bahia, com os 10% restantes permanecendo à Associação do clube.

Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, e Ferran Soriano, Diretor Executivo do City Football Group, reuniram-se com os conselheiros tricolores para apresentar as propostas de investimento.

Se a proposta for aprovada pelos órgãos competentes de governança do Esquadrão, o veículo de investimento será uma Sociedade Anônima de Futebol (SAF) a ser incorporada pelo Bahia, com o City Football Group posteriormente se juntando como acionista em busca do desenvolvimento de uma estratégia de longo prazo para o Bahia.

As prioridades incluem o fortalecimento do desempenho das equipes masculina e feminina em campo e o sistema de categoria de base em todos os níveis e idades, visando o objetivo de jogar um futebol de primeira linha na Série A do Campeonato Brasileiro e em competições continentais.

Garantir sustentabilidade financeira, melhorar o clube e sua infraestrutura, atender aos torcedores e programas sociais de apoio à comunidade local são fundamentais para o compromisso do CFG em desenvolver o Bahia em um clube de futebol de classe mundial para o Brasil.

CFG e Bahia também confirmaram que a identidade, as cores e o hino do Esquadrão não mudarão.

Sujeito a todas as aprovações e processos, o investimento proposto permitiria ao Bahia quitar a totalidade de obrigações de dívidas existentes e incluir um robusto programa de financiamento para investir em jogadores.

Após as apresentações de hoje, o Conselho enviará parecer em até dois meses aos sócios do clube para que eles possam votar a proposta numa Assembleia Geral.

O Bahia se tornaria o 13º clube da família global do City Football, que ganhou ligas nacionais na América, Austrália, Bolívia, Inglaterra e Índia nos últimos dois anos.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.