Publicado em 12/02/2020 às 21h00.

Acusado de estelionato e formação de quadrilha, Crezo Dourado tem prisão decretada

Decisão ocorreu em Guarapari (ES), onde p empresário tem empreendimento com dívida de R$ 8 milhões; em 2016, ele tentou comprar o Grupo A Tarde

Redação
Foto: Arquivo Pessoal
Foto: arquivo pessoal

 

Empresário que tentou adquirir o Grupo A Tarde em 2016, Crezo Dourado teve prisão decretada pela Justiça do Espírito Santos por estelionato e lavagem de dinheiro. Ele é membro da empresa DX Group Participações e Investimenros Eirel.

De acordo com informações da colunista Beatriz Seixas, do jornal A Gazeta, o mandado de prisão preventiva foi expedido no dia 7 de fevereiro. O processo está em segredo de Justiça na 2º Vara Criminal de Guarapari, mesma cidade da rede de supermercados Santo Antônio, ao qual o empresário se tornou sócio em julho do ano passado. Em dezembro, a dívida do empreendimento chegava a R$ 8 milhões, com 739 protestos de dívida em cartório.

Segundo a colunista, a ação tramita desde janeiro na Corte, mas não se sabe de fato o que motivou o pedido de prisão. Contudo, constam no Banco Nacional de Mandados de Prisão (BNMP) possíveis crimes de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, organização criminosa, estelionato, uso de documento falso, apropriação indébita de bens, direitos e valores.

Crezo Dourado é baiano, filho do DJ Crezo, à época conhecido como DJ Crezinho. Começou a vida como DJ e, depois, tornou-se empresário. Além da rede Santo Antônio, adquiriu quatro unidades da Rede Smart, bem com o controle do Laticínios Colatina e do Frigorífico Rioja.

A defesa do empresário informou ao Gazeta que “está verificando o ocorrido e que vai avaliar quais medidas serão tomadas”.

PUBLICIDADE