Publicado em 20/02/2020 às 16h29.

Alexandre de Morais diz que greve de PMs tem que ter ‘consequências’ na Justiça

“Crime de dano ao patrimônio público, destruindo viaturas, tiros", citou o ministro do STF

Redação
Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Foto: Nelson Jr./SCO/STF

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, classificou de “inadmissível” o movimento grevista de PMs no Ceará.

Ele citou o caso do senador Cid Gomes, baleado enquanto tentava furar um bloqueio dos grevistas. Para Alexandre, a situação poderia ter terminado em um “morticínio gigantesco”.

“Crime de dano ao patrimônio público, destruindo viaturas, tiros. Não entro no mérito dos fatos porque não estava lá. Mas onde já se viu policial que se queira policial… e eu tenho certeza que no STF não tem ninguém que tem mais admiração pela polícia do que eu. Mas como se pode disparar tiros a esmo?”, questionou o ministro.

Ele ainda afirmou que a greve tem que ter “consequências” na Justiça comum e na criminal.

PUBLICIDADE