Publicado em 04/08/2020 às 15h09.

Decisão do STJ sobre prisão de Fabrício Queiroz só deve sair após dia 18

Ministro Félix Fischer, relator do caso, se recupera de um procedimento médico feito na semana passada

Redação
Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube

 

A decisão sobre o restabelecimento da prisão de Fabrício Queiroz e sua esposa, Márcia Aguiar, só deve sair após o dia 18 deste mês. Ambos estão em prisão domiciliar, após liminar concedida pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio Noronha.

A demora é resultado de dois fatores. O ministro Félix Fischer, relator do caso, ainda se recupera de um procedimento médico feito na semana passada. Além disso, a sessão da Quinta Turma, que analisaria o agravo da Procuradoria-Geral da República contra a decisão de Noronha, não poderá acontecer na próxima semana devido a um feriado.

As informações são da coluna Radar, da revista Veja. Os próprios colegas de Fischer avaliam que o caso não deve ser apreciado antes do dia 18.

Na segunda-feira, o sub-procurador-geral da República, Roberto Luís Opperman Thomé pediu que o STJ derrubasse a decisão que concede prisão domiciliar a Queiroz e a Márcia. O PGR argumentou que é necessário respeitar o entendimento de que não cabe a concessão do benefício a foragidos da Justiça, situação da esposa do ex-assessor de Flávio Bolsonaro na circunstância da liminar.