Publicado em 20/09/2022 às 17h33.

‘Faraó dos Bitcoins’ deve depositar R$ 19 bi em até 72 horas

O empresário Glaidson Acácio dos Santos é acusado de chefiar esquema de pirâmide financeira por meio de criptomoedas

Redação
Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

 

O empresário e ex-pastor Glaidson Acácio dos Santos, conhecido como Faraó dos Bitcoins, deve depositar, em até 72 horas, R$ 19 bilhões para pagar investidores e credores da GAS Consultoria e Tecnologia LTDA. A decisão foi proferida nesta segunda-feira (19), pela juíza Rosália Monteiro Figueira, da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

A juíza também decidiu que o empresário deve entregar o passaporte à Justiça. Além disso, está proibido de acessar internet e redes sociais e de se comunicar com outros investigados.

O valor se refere a cerca da metade dos R$ 38,2 bilhões informado em Relatório de Inteligência Financeira (RIF). Assim que depositado em conta judicial, o montante será transferido à 5ª Vara Empresarial da Comarca da Capital-RJ.

Preso em agosto do ano passado, na Operação Kriptos, Santos foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de liderar uma organização criminosa responsável por um milionário esquema de pirâmide financeira iniciado em Cabo Frio, na Região dos Lagos. Durante a operação, os agentes da Polícia Federal apreenderam 591 bitcoins, dezenas de carros de luxo e mais de R$ 13 milhões em espécie.

O empresário também está sendo processado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O órgão relatou ter juntado elementos suficientes para acusá-lo por operações fraudulentas e irregularidades no mercado de capitais brasileiro.

Recentemente, o empresário teve a candidatura a deputado federal barrada, por unanimidade, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ). O colegiado decidiu que ele deveria ficar inelegível por constar como sócio em empresas denunciadas por crimes contra o sistema financeiro nacional.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.