Publicado em 20/01/2022 às 15h16.

Onyx Lorenzoni move ações contra senadores da CPI da Pandemia

Ministro do Trabalho acionou o STF, a Justiça comum do DF e a PGR contra cinco senadores opositores ao presidente

Redação
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

 

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, decidiu mover ações contra cinco senadores que fizeram oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PL) na CPI da Pandemia. As ações penais por crimes contra a honra foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e, na justiça comum do Distrito Federal, moveu ações cíveis indenizatórias por dano moral contra o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), o vice, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), e ainda outros dois senadores que recentemente se colocaram na disputa à presidência da República, Simone Tebet (MDB-MS) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Além disso, o ministro enviou representações criminais à Procuradoria-Geral da República (PGR) com o objetivo de que os mesmos senadores sejam processados pelos crimes de denunciação caluniosa e abuso de autoridade. Lorenzoni acusa os senadores de terem cometido esses crimes durante a atuação deles na CPI.

A ofensiva mira alguns dos senadores mais combativos da comissão, que concluiu os trabalhos acusando Bolsonaro, ministros e aliados do governo de contribuírem com o avanço do coronavírus no país.

Onyx Lorenzoni foi um dos indiciados pela CPI, em outubro, por incitação ao crime e crimes contra a humanidade.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.