Publicado em 09/11/2016 às 04h29.

Donald Trump é o novo presidente dos Estados Unidos

Republicano venceu a democrata Hillary Clinton na maioria dos colégios eleitorais

João Brandão
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

O republicano Donald Trump venceu as eleições americanas e se tornou o novo presidente dos Estados Unidos. O resultado saiu na madrugada desta quarta-feira (9), às 4h29 no horário de Salvador, quando o republicano atingiu a maioria dos colégios eleitorais e venceu a democrata Hillary Clinton. Trump sucederá o opositor Barack Obama e tomará posse no dia 20 de janeiro.

A vitória do magnata foi confirmada quando a apuração apontou sua vitória no estado de Winconsin e ele chegou a 276 delegados – 6 a mais do que os 270 necessários para ser eleito – contra 218 de Hillary.

Além de interromper a linha sucessória democrata no país, Trump derrubou os institutos de pesquisas que apontavam a sólida vitória de Hillary. Já por outro lado, os democratas perderam nos estados de Michigan e Wisconsin, os chamados “muros azuis”, em referência à cor do partido. Outra derrota histórica foi na Pensilvânia. Lá, o republicano virou durante a apuração e garantiu mais 20 delegados eleitorais.

Além da eleição presidencial, o Partido Republicano conquistou a maioria do Senado, da Câmara e entre os governadores.

Flórida – Nas duas últimas eleições presidenciais nos Estados Unidos, o presidente Barack Obama venceu na Florida por margens estreitas sobre seus adversários, os republicanos John McCain, em 2008, e Mitt Romney, em 2012. Obama teve 51,03% dos votos em sua primeira eleição e 50,01% quando se reelegeu. Já Hillary não conseguiu ganhar no estado.

Foto: EPA/ Craig Lassig | Agência Lusa
Foto: EPA/ Craig Lassig | Agência Lusa

 

Muda – Perto do fim da eleição, o chefe de campanha de Hillary Clinton, John Podesta, apareceu no Centro de Convenções de Nova York, onde os simpatizantes democratas acompanhavam a apuração, para pedir às pessoas presentes para irem embora, descansar, pois Hillary não iria falar nesta madrugada.

Em 2004, John Kerry também não fez discurso na madrugada e apenas só cumprimentou o outro candidato, George Walker Bush, no dia seguinte.