Publicado em 16/11/2019 às 15h00.

Evo Morales: ‘Não me arrependo de ter desejado governar por 20 anos’

Ex-presidente da Bolívia diz que gostaria de ter consolidado mudanças até 2025 e afirma estar pronto para voltar à Bolívia se Congresso não aceitar sua renúncia

Redação
Foto: Reprodução/ EBC
Foto: Reprodução/ EBC

 

Depois de abandonar a presidência da Bolívia devido a um golpe militar, Evo Morales disse em entrevista ao jornal mexicano El Universal que não está arrependido de ter tentado concorrer ao quarto mandato. Ele está exilado no México desde terça última (12).

“Não me arrependo porque ganhamos as eleições no primeiro turno”, afirmou. “Com mais cinco anos estaria consolidado o crescimento econômico, a integração da Bolívia e a universalização dos distintos programas sociais”, afirmou.

Para o ex-presidente, não foram as manifestações ou as denúncias de irregularidades eleitorais que levaram a sua saída da Presidência, mas um conluio racista responsável por um “golpe de Estado”.

“No dia em que estava renunciando saquearam minha casa: eles semearam racismo. É mal visto ser indígena. Eles os fazem odiar os povos camponeses, indígenas, nativos, os mais humildes, com ódio, racismo; usam a Bíblia contra a família”, afirmou o ex-presidente.

Ainda na entrevista, ele rejeitou as denúncias de fraude eleitoral e negou covardia por renunciar ao cargo ao afirmar que tentou evitar derramamento de sangue. Até o domingo passado, quando renunciou, não havia mortes por tiros, contra dez mortos três dias depois.

PUBLICIDADE