Publicado em 11/11/2016 às 14h00.

Questionado sobre Trump, papa Francisco fala em sofrimento dos pobres

Pontífice não quis comentar diretamente resultado da eleição nos EUA: "Eu não emito juízos sobre pessoas ou homens da política", esquivou-se

Jaciara Santos
Papa x Trump (Montagem)
Papa Francisco evita opinar sobre a eleição de Trump, mas diz estar atento ao sofrimento dos pobres (Montagem / O Globo)

 

O papa Francisco não quis comentar diretamente a eleição nesta semana de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. “Eu não emito juízos sobre pessoas ou homens da política”, disse o pontífice ao ser questionado sobre o assunto, de acordo com o jornal La Repubblica. “O único que quero entender é o sofrimento que sua forma de proceder causa aos pobres e excluídos”, continuou o líder da Igreja Católica.

Nesta sexta-feira (11), o papa pediu perdão aos pobres e desamparados pelo mundo por todos os anos que os cristãos lhes deram as costas. Em uma emotiva cerimônia em um auditório do Vaticano, Francisco abaixou a cabeça e permitiu que várias pessoas em situação de necessidade colocassem as mãos sobre seus ombros.

Cerca de 4 mil pessoas de 22 países que em algum momento estiveram ou estão agora sem casa participaram do evento, um dos últimos organizados sob o motivo do Ano Santo da Misericórdia. “Peço perdão a vocês”, disse o papa, em nome dos cristãos que “ante uma pessoa pobre, ou ante o fenômeno da pobreza, deram as costas”. Após alguns pobres relatarem dificuldades enfrentadas, o pontífice elogiou o fato de que eles mantêm uma vida digna, apesar de tudo. Além disso, dirigiu uma prece a Deus: “Ensina-nos a mostrar solidariedade, porque todos somos irmãos ”

A audiência desta sexta-feira foi organizada no dia em que a Igreja Católica homenageia São Martinho de Tours, que ao ver um pobre tremendo de frio usou uma espada para cortar seu abrigo e dar a ele a metade. O papa deu medalhas a vários líderes mundiais com a imagem do santo. O Ano Santo da Misericórdia termina no próximo dia 20 com uma missa celebrada pelo papa. Fonte: Associated Press.