Publicado em 28/06/2020 às 17h31.

Trump retuita e depois apaga vídeo de apoiador gritando ‘poder branco’; assista

Postagem do presidente dos EUA foi apagada horas depois, após ser condenada pela oposição e pelo único senador negro do Partido Republicano

Redação
Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube

 

O presidente dos EUA, Donald Trump, compartilhou neste domingo (28) um vídeo no Twitter em que um de seus apoiadores grita “white power” (poder branco), uma expressão racista. A postagem foi apagada horas depois após ser condenada tanto pela oposição como pelo único senador negro do Partido Republicano.

As imagens mostram manifestantes contra e a favor de Trump gritando uns contra os outros. Depois que um manifestante chama um apoiador do presidente de racista, o homem responde levantando seu punho e gritando “white power”, expressão usada no país, sobretudo, por grupos supremacistas brancos.

No tuíte, Trump escreveu: “Obrigado ao formidável povo de The Villages”, se referindo à região onde as imagens foram registradas.

“Não há dúvida de que ele não deveria ter retuitado isso, e ele deve apagá-lo “, criticou o senador Tim Scott, o único republicano negro do Senado, em entrevista à emissora CNN. “Certamente, o comentário sobre o poder branco foi ofensivo”, acrescentou Scott. “É indefensável. Devemos retirá-lo.”

“America first” e os supremacistas

O Partido Democrata da Flórida acusou Trump de agradecer “supremacistas brancos” pelo apoio deles e apelou à população do estado que não votem no presidente nas eleições de novembro.

O vídeo, que Trump compartilhou com seus 82 milhões de seguidores, foi clicado cerca de quatro milhões de vezes. Depois das críticas, Trump apagou a postagem quatro horas depois.

Após o tweet ser apagado, a Casa Branca divulgou um comunicado afirmando que Trump “não escutou” o slogan em questão. Segundo seu porta-voz Judd Deere, o presidente só teria visto “o tremendo entusiasmo de seus muitos seguidores”.

No vídeo sem data, gravado numa comunidade para aposentados na Flórida visitada ano passado pelo presidente americano, tanto os manifestantes quanto os adeptos de Trump são idosos americanos brancos. Enquanto Trump é classificado de “racista” nos cartazes dos manifestantes antigoverno, seus apoiadores passam em carrinhos de golfe com placas da campanha de Trump, exibindo os dizeres “Trump 2020” e o slogan “America first”. Uma manifestante oposicionista veste uma camisa com o lema “Black Lives Matter” (vidas negras importam).

Desde a morte do norte-americano negro George Floyd, sufocado por um policial branco há mais de um mês, ocorrem protestos em massa contra o racismo e a violência policial nos Estados Unidos e no mundo. Trump tem sido acusado de ter uma postura hostil em relação aos atos contra a injustiça racial que ocorrem no país após a morte de Floyd.