Publicado em 05/11/2019 às 17h10.

Bahiater realiza curso sobre operação e manutenção de equipamentos agrícolas

Treinamento visa preparar e alertar sobre os cuidados que se deve ter ao operar os equipamentos disponibilizados para agricultores familiares

Redação
Foto: Ascom/SDR
Foto: Ascom/SDR

 

Um curso sobre a operação e manutenção de tratores e máquinas agrícolas foi ministrado para agricultores familiares da Comunidade Lagoa das Porteiras, na cidade de Jacaraci, no sudoeste baiano.

Na formação, ministrada por técnicos da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), no âmbito do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (Setaf), Vitória da Conquista,  os agricultores familiares foram orientados sobre os impactos do manuseio adequado dos equipamentos no solo, no plantio, nos tratos culturais das lavouras, na economia de combustível, no aumento da eficiência e durabilidade do maquinário.

Também foram alertados sobre os cuidados que se deve ter na operação dos equipamentos, garantido a segurança física dos trabalhadores. Segundo João Pereira Gomes, engenheiro agrônomo da Bahiater, a prestação dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) é essencial para o êxito dos trabalhos desses agricultores.

“A forma que o agricultor utiliza este equipamento poderá colocar o solo sobre o risco de erosão ou poderá trabalhar no sentido de proporcionar a conservação do solo e da água. A Assistência Técnica e Extensão Rural cumpre seu papel de orientá-los para trabalhar correto, evitando a erosão do solo e propiciando a infiltração da água na área trabalhada, para uma produção sustentável”, disse.

Devanildo Oliveira Bonfim, agricultor familiar da Comunidade Lagoa das Porteiras, avalia que os benefícios da mecanização agrícola irão impactar no aumento da sua produção, voltada para o cultivo do feijão, milho, mandioca. “Eu já trabalho há anos com trator. Para agricultura familiar é muito importante porque aqui a gente perdia muita área de plantio, por não ter tempo suficiente pra fazer, mas com as máquinas, ganhamos tempo para fazer o plantio na hora que desejarmos”, afirmou.

“Nós moramos em uma comunidade rural que conseguiu ter uma máquina pela associação. Agora teremos mais conhecimento para operar melhor os equipamentos e avançar na agricultura”, completou Isaías Brito Calixto, também agricultor familiar.

PUBLICIDADE