Publicado em 01/07/2019 às 10h40.

2 de Julho: governo vai com Wagner e Leão; prefeitura terá Neto e Bruno Reis

Presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior, confirmou ao bahia.ba que estará presente nos festejos

Matheus Morais
Foto: Manu Dias/GOVBA
Foto: Manu Dias/GOVBA

 

O governador Rui Costa (PT) não comparecerá aos festejos de 2 de Julho, na manhã de terça-feira. Com o petista na Espanha, o vice-governador, João Leão (PP), participará do cortejo ao lado de aliados como o senador Jaques Wagner (PT), que, por meio das redes sociais, já disse que estará presente.

Ainda na base de Rui, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB), que também é pré-candidata a prefeita de Salvador, nas eleições de 2020, disse ao bahia.ba que espera a definição da leitura do relatório da reforma da Previdência, o que poderá acontecer na Câmara dos Deputado na terça.

Caso o relatório seja lido, a parlamentar não comparecerá ao evento.

“Estou esperando. Até o final do dia terei uma resposta. Sou titular da comissão da Previdência e, caso seja lido o relatório, não poderei ir. É uma pena, porque poderá ser a primeira vez que não participo dos festejos. Vou desde menina. Depois, continuei como estudante e vou todos os anos. É um grande termômetro popular”, ressaltou.

Outro que aguarda a agenda em Brasília é o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante).

O pré-candidato a prefeito de Salvador,  deputado federal Bacelar (Podemos), lamentou a ausência do governador e garantiu presença. “Claro que o governador faz falta. O brilho da festa fica até menor sem ele. Mas estaremos ao lado de João Leão e de Jaques Wagner. Vou pedir proteção aos caboclos”, afirmou.

Base de Neto 

Já o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), vai comparecer ao cortejo acompanhado de Bruno Reis (DEM), secretário de Obras e provável pré-candidato ao Palácio Thomé de Souza no pleito do ano que vem.

Ao bahia.ba, o presidente da Câmara de Vereadores, Geraldo Júnior (SD), confirmou presença. A tendência é que ele compareça acompanhado de um grupo de vereadores, entre eles o líder do governo na Casa, Paulo Magalhães Júnior (PV).

PUBLICIDADE