Publicado em 23/09/2021 às 08h47.

ACM Neto espera formar maior partido do país e da Bahia

Democratas, presidido pelo ex-prefeito, deu o 'start' para a fusão com o PSL

Redação
Foto: Gilberto Júnior / Divulgação
Foto: Gilberto Júnior / assessoria

 

A fusão com do DEM com o PSL tem como meta formar o maior partido do Brasil e da Bahia. Foi o que disse o presidente nacional do Democratas e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, em entrevista à Tribuna da Bahia. Partido pelo qual o presidente Jair Bolsonaro se elegeu, o PSL tem a maior bancada na Câmara dos Deputados (53 parlamentares) e uma senadora. Uma bancada de peso influencia no tempo da TV e nos recursos dos fundos partidário e eleitoral no próximo ano.

“Estamos nesse processo de análise da fusão dos dois partidos com o objetivo de criar um novo partido, que seria o maior partido do país. E que permita ter um projeto forte e vitorioso no Brasil no próximo ano. E, claro, que, caso isso dê certo, ele também já nasce com todo peso político na Bahia para ser o principal partido do estado”, afirmou ACM Neto, para a publicação. O dirigente do DEM é pré-candidato a governador.

Na terça-feira (21), o diretório nacional do DEM autorizou por unanimidade o início oficial das tratativas de criação do novo partido. O nome da legenda ainda não foi fechado, mas provavelmente o número deve prevalecer o 25. O 17 é vinculado ao presidente Jair Bolsonaro, hoje distante do PSL e que nunca teve o apoio fechado do DEM.

Atualmente, o DEM tem 28 deputados e seis senadores. A nova legenda, confirmada a fusão, passará a ter 81 deputados. No Senado, com sete cadeiras, não seria o maior partido, mas tem o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Na Assembleia Legislativa, o cálculo é mais complicado, pois capitão Alden e Talita Oliveira tendem a sair do PSL para seguir no apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.