Publicado em 20/03/2018 às 15h12.

ACM Neto teria condicionado candidatura a saída de Lúcio do MDB

No cenário atual, portanto, Neto não concorreria a governador, já que o deputado tem dito que disputará a reeleição na Câmara pelo atual partido

Rodrigo Aguiar
Foto: Valter Pontes/ Agecom
Foto: Valter Pontes/ Agecom

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), condicionou sua candidatura ao governo do Estado à saída do deputado federal Lúcio Vieira Lima do MDB, conforme apurou o bahia.ba.

No cenário atual, portanto, Neto não concorreria a governador no pleito de outubro, já que o parlamentar tem dito reiteradas vezes que disputará a reeleição na Câmara pelo atual partido.

O primeiro sinal público do movimento feito por aliados de Neto para afastar Lúcio já veio nesta terça-feira (20), com uma declaração do deputado federal João Gualberto, presidente do PSDB baiano, contrária aos emedebistas. Gualberto afirmou que os tucanos não coligariam com Neto caso o MDB estivesse na chapa.

A presença do MDB em uma posição de destaque na majoritária ao lado do democrata, contudo, já era descartada pelos aliados mais próximos do gestor, que julgavam complicado manter o partido dos Vieira Lima “na vitrine”, pelo caso das malas de dinheiro apreendidas com R$ 51 milhões em imóvel ligado a Geddel.

Para complicar, Lúcio é alvo de um processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara. Apesar disso, a capilaridade e o tempo de televisão da legenda seriam importantes para o prefeito em uma eventual disputa contra o governador Rui Costa (PT).

Embora Neto negue, diversos movimentos foram feitos nos últimos meses para tentar tirar o MDB das mãos dos Vieira Lima, mas Lúcio reagiu.

Na última sexta (16), Neto esteve, inclusive com o próprio Lúcio para tratar de eleições, em meio a rodadas de conversas com diversos aliados que se estenderam pelo final de semana.

PUBLICIDADE