Publicado em 06/04/2020 às 18h20.

Após ameaçar demitir Mandetta, Bolsonaro volta atrás na decisão

Segundo jornal O Globo, Bolsonaro teria decidido demitir o principal nome do governo no combate ao coronavírus no Brasil nesta segunda

Redação
Foto: Isac Nóbrega/PR
Foto: Isac Nóbrega/PR

 

A demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deixou boa parte dos brasileiros aflitos na tarde desta segunda-feira (6). Segundo uma publicação do Jornal O Globo, o presidente Jair Bolsonaro teria decidido demitir o principal nome do governo no combate ao coronavírus no Brasil.

Após uma reunião com os ministros Walter Braga (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo), Bolsonaro foi convencido de que a melhor decisão seria manter o ministro no cargo, por enquanto.

A possibilidade da exoneração de Mandetta, no entanto, não está descartada ainda. Segundo a revista Veja, os nomes mais cotados para a substituição do cargo estão o deputado federal Osmar Terra, ex-ministro da Cidadania, a imunologista e oncologista Nise Yamaguchi, diretora do Instituto Avanços em Medicina, e o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres.

A mais recente pesquisa Datafolha apontou que entre os brasileiros que declararam ter votado em Jair Bolsonaro no segundo turno da última corrida presidencial, 82% classificaram como ótimo ou bom o trabalho da pasta comandada pelo médico e deputado licenciado Mandetta (DEM).

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.