Publicado em 28/10/2020 às 19h00.

Bolsonaro trata decreto como ‘já revogado’ e diz que é falsa a privatização do SUS

Decreto que autorizava a atuação da iniciativa privada no Sistema Único de Saúde foi publicado no Diário Oficial de terça-feira (27)

Redação
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Após repercussão negativa, o presidente Jair Bolsonaro anunciou em rede social que revogou o decreto que incluía unidades básicas de saúde (UBS) no Programa de Parcerias de Investimentos. O decreto que autorizava a atuação da iniciativa privada no Sistema Único de Saúde (SUS) foi publicado no Diário Oficial de terça-feira (27).

Ao longo desta quarta (28), o governo alegou que não se tratava de qualquer decisão prévia, mas de realização de estudos para identificar a situação das UBS.

“Temos atualmente mais de 4 mil Unidades Básicas de Saúde e 168 Unidades de Pronto Atendimento inacabadas. Faltam recursos financeiros para a conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal. O espírito do Decreto 10.530, já revogado, visava o término dessas obras, bem como permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União”, escreveu Bolsonaro.

Na publicação, Bolsonaro disse ainda que a “simples leitura” do decreto não sinalizava privatização do SUS. Segundo ele, é falsa a ideia de privatização.

 



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.