Publicado em 04/05/2018 às 14h19.

Contra chapão, presidente do PSDC critica Marcell: ‘Devia se respeitar’

Antônio Albino reagiu a declarações do deputado tucano (ex-PV) contra a chapinha: "Se elegeu em 2014 na nossa chapinha"

Rodrigo Aguiar
Divulgação
Foto: Reprodução / Facebook

 

O “chapão” defendido pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), não agradou muita gente. O presidente do PHS baiano, Júnior Muniz, ameaçou deixar a base de Neto porque estaria “pressionado” a aceitar fazer parte de uma grande chapa no pleito de outubro, que contemplaria todas as legendas aliadas do democrata.

Presidente do PPS na Bahia, o vereador Joceval Rodrigues também já avisou que a legenda não vai participar do “chapão”.

Agora, quem resolveu se manifestar foi o presidente do PSDC no estado, Antônio Albino. Desta vez, o alvo não foi Neto, até pelo fato de a sigla se definir como “independente”, mas o deputado estadual Marcell Moraes (PSDB), por declarações dadas ao jornal Tribuna da Bahia.

Em entrevista à publicação, Marcell classificou o chapão como “justo”. “Quem quer disputar eleição não pode ter medo de voto. A chapinha é formada por candidatos que querem facilidade de votos. A chapinha elege com poucos votos, só que tira uma vaga de quem está eleito há quatro anos”, declarou o deputado, ex-filiado ao Partido Verde.

“Acho que o deputado está equivocado. Ele está faltando com a verdade. Deveria se respeitar, porque se elegeu em 2014 na nossa chapinha, não cumpriu acordo e pulou fora”, disse Albino ao bahia.ba.

No ano em questão, Marcell foi eleito dentro da coligação “Juntos somos fortes”, formada por PPS, PSDC, PTC, PV, PRP e PTdo B (atualmente Avante).

Conforme Albino, também não teriam “honrado o acordo” os deputados Jânio Natal, Jurandy Oliveira e  Marquinho Viana e o deputado federal Uldurico Jr.

O PSDC lança neste sábado a pré-candidatura de Marcos Maurício, presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpoc), ao governo.

PUBLICIDADE