Publicado em 01/04/2021 às 20h20.

Em entrevista, Lula diz que ‘sociedade se acovardou’ e Lava Jato ‘socializou o roubo’

Para o petista, a atuação da força-tarefa foi prejudicial às empresas estatais e beneficiou delatores

Redação
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teceu críticas à Operação Lava Jato durante entrevista a Reinaldo Azevedo, na BandNews FM, nesta quinta-feira (1). Para o petista, a atuação da força-tarefa foi prejudicial às empresas estatais e beneficiou delatores. Para ele, “a sociedade se acovardou”.

“Eu cansei de falar para os empresários defenderem os empregos. A verdade é que a sociedade se acovardou (…) Todos os ladrões estão fumando charuto Cohiba e tomando rum cubano. A Lava Jato socializou o roubo. Ele entregou R$ 100 milhões, mas com quanto ele ficou?”, questionou.

Ele ainda comemorou a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin em anular as suas condenações. “Eu estou bem porque a Lava Jato saiu da minha vida. O objetivo era tirar o Lula das eleições. Cinco anos depois, o Fachin toma a decisão. Hoje, eu posso dizer que não tenho mais nada com a Lava Jato. Eu tenho certeza que o Moro e o Dallagnol não dormem tranquilos. Essa gente vai ser julgada ainda”, disse.

Durante a entrevista, Lula também criticou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e lamentou os casos de contaminação e mortes em virtude da pandemia do novo coronavírus.

“Eu queria expressar a minha solidariedade aos 12 milhões de casos no Brasil e os 320 mil mortos. Somente ontem [quarta], morreram quase 4 mil pessoas. Queria expressar minha solidariedade às famílias dos mortos e ao pessoal da saúde. Nós estamos vivendo um genocídio praticado pela irresponsabilidade de um único homem. Que brinca com a saúde, que inventa remédio”, lamentou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.