Publicado em 12/04/2017 às 18h10.

‘Geddel é um cara que briga pela gente’, diz Marcelo Odebrecht

Ex-presidente da empreiteira disse, em depoimento de delação premiada, que o peemedebista baiano criava, em troca, expectativa por contribuições em época de eleição

Rodrigo Aguiar
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

Em depoimento de delação, o empresário Marcelo Odebrecht deu como exemplo o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), ao falar sobre políticos que atuavam pela empreiteira no Congresso e, em troca, esperavam contribuições em períodos eleitorais. Odebrecht reiterou que a interlocução em Brasília era feita por Cláudio Melo Filho, que também depôs como delator.

“Tinha pessoas, por exemplo, que Cláudio dizia que brigavam pela gente. […] Ele sempre usou como referência Geddel, que era um cara da relação antiga dele e meu pai. Eles sempre diziam: ‘Geddel é um cara que briga pela gente; qualquer coisa que você pede, ele vai, se desgasta, faz e acontece. Agora, se prepare, porque ele vai criar na eleição uma expectativa além do que a gente daria para qualquer deputado”, disse o ex-presidente da Odebrecht.

O empresário disse, no entanto, que os caciques peemedebistas nos quais Melo Filho concentrava sua atuação eram Romero Jucá, no Senado, e Eliseu Padilha, na Câmara. Ex-ministro de Temer, Jucá é atualmente líder do governo no Senado. Padilha é chefe da Casa Civil.

Veja abaixo o trecho do depoimento sobre a relação da Odebrecht com o PMDB e, a partir de 4min40, o comentário sobre Geddel:

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.