Publicado em 20/10/2021 às 17h12.

Hospital que internou Jefferson reclama de omissão da PF

Polícia Federal recusou pedido para fazer segurança do ex-deputado

Redação
Foto: Reprodução/Redes sociais
Foto: Reprodução/Redes sociais

 

O Hospital Samaritano Barra, que abrigou o ex-deputado federal e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, por 40 dias, reclamou na terça-feira (19) ao SupremoTribunal Federal (STF) que não conseguiu o apoio de agentes da Polícia Federal para escoltar o ex-parlamentar, preso desde agosto. O hospital também queixou-se do alto custo financeiro de vigiar o quarto de Jefferson em tempo integral. A informação é da coluna de Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Segundo o hospital do Rio de Janeiro, “lamentavelmente” a Polícia Federal recusou o pedido para fazer a segurança de Jefferson, que ficou internado de 4 de setembro a 14 de outubro. A segurança privada trouxe “grandes ônus” ao Samaritano Barra, seguiu o documento.

Ainda de acordo com a publicação, pouco antes de deixar o hospital, o ex-deputado enviou a aliados um vídeo em que atacou o ministro Alexandre de Moraes: “Oro em desfavor do Xandão”. O ministro cobrou explicações do governo fluminense e do hospital. Em depoimento na prisão, Jefferson afirmou que leu uma “maldição sobre os ímpios e perversos” no vídeo.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.