Publicado em 01/08/2017 às 18h46.

Josias explica voto pró-Temer: ‘Não interessa colocar outro mais sujo’

Exonerado nesta terça-feira pelo governador Rui Costa para participar de votação em Brasília, petista diz que chefe do Executivo baiano concorda com sua tese

Rodrigo Aguiar
Foto: Pedro Moraes/ GOVBA Fotos: Pedro Moraes/GOVBA
Foto: Pedro Moraes/ GOVBA

 

Exonerado nesta terça-feira (1º) da Secretaria de Relações Institucionais (Serin) da Bahia para participar da votação que decide o futuro do presidente Michel Temer (PMDB) em Brasília, o deputado federal Josias Gomes (PT) não vai votar pelo prosseguimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o peemedebista.

“Não interessa ao PT retirar Temer para colocar em seu lugar outro tão ou mais sujo do que ele”, justificou o petista ao bahia.ba. Josias disse ser essa também a opinião do governador Rui Costa (PT), que anteriormente já pregou “bom senso” ao avaliar a denúncia contra Temer.

“Há um presidente ilegítimo, após um colégio eleitoral tirar uma pessoa com 54 milhões de votos [Dilma Rousseff]. Agora, esse mesmo colégio eleitoral quer fazer outro caminho? Tirar temer e colocar esse jovem do Rio de janeiro [Rodrigo Maia]”, afirmou o parlamentar, ao repetir uma tese defendida por Rui no dia 11 de julho.

Caso Temer caia, quem assume a Presidência da República é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que deverá convocar uma eleição indireta em 30 dias. Nos bastidores, o democrata é visto como forte postulante caso o cenário se confirme.

“O lamentável é que ninguém está se dando conta que eles podem recuperar o papel que o DEM deixou de ter há tempos no Nordeste, e o DEM representa o que há de mais atrasado na oligarquia nordestina”, declarou o petista.

Josias negou ainda que o seu posicionamento seja uma estratégia definida pelo PT nacional. “Eu estou em uma reunião da bancada propondo isso”, disse. Nesta terça, o partido publicou em seu site que a executiva nacional da legenda e sua bancada na Câmara Federal haviam fechado questão pelo afastamento de Temer.

O parlamentar reconheceu que pelo menos um dos suplentes da coligação, Davidson Magalhães (PCdoB), que participaria da votação em Brasília nesta quarta-feira, se posicionaria pelo prosseguimento da denúncia contra o presidente. “Ele tem posição de votar contra Temer”, admitiu.

Aliados do governador têm reclamado publicamente de um suposto boicote do governo federal a um empréstimo aprovado para o Estado, fato que gerou uma reunião do chefe do Executivo baiano com deputados da sua base, na noite de segunda (31). O posicionamento pró-Temer teria saído após a reunião.

PUBLICIDADE