Publicado em 18/07/2019 às 21h48.

Jucá vira réu na Lava Jato acusado de corrupção e lavagem de dinheiro

Segundo o MPF, presidente do MDB recebeu pelo menos R$ 1 milhão por negócios na Transpetro

Redação

 

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil

 

O juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal do Paraná, aceitou denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e transformou em réu o ex-senador e presidente nacional do MDB, Romero Jucá, sob suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. A acusação é de que ele tenha atuado no esquema da Transpetro, subsidiária da Petrobras e tenha recebido pelo menos R$ 1 milhão em 2010, por participação em negócios ilegais com a Galvão Engenharia.

As informações são do jornal O Globo.

“Presentes indícios suficientes de autoria e materialidade, evidenciada a justa causa, recebo a denúncia contra José Sérgio de Oliveira Machado e Romero Jucá Filho”, escreveu o juiz em seu despacho.

Segundo a publicação, o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, também virou réu. Ele, por sua vez, fez um acordo de delação premiada.

De acordo com a investigação, a Galvão Engenharia pagava a integrantes do MDB 5% do valor de todos os contratos que tinha com a subsidiária da Petrobras. Os políticos compunham o núcleo de sustentação de Machado na presidência da estatal.

PUBLICIDADE