Publicado em 14/09/2016 às 17h43.

Ministro promete repassar R$ 371 milhões às Santas Casas

Os recursos fazem parte de um total de R$ 1 bilhão, resultado de economia do Ministério da Saúde, segundo o titular da pasta, Ricardo Barros

Blog do Levi
O Hospital Santa Izabel é uma das instituições mantidas pela Santa Casa de Misericórdia (Foto: Divulgação)
O Hospital Santa Izabel é uma das instituições mantidas pela Santa Casa de Misericórdia (Foto: Divulgação)

 

Caso o Ministério da Saúde cumpra a boa notícia anunciada nesta quarta-feira (14) pelo ministro Ricardo Barros, as Santas Casas de Misericórdia e instituições que ameaçam suspender atendimentos por falta de recursos para dar conta da demanda, vão receber uma injeção de recursos que poderá dar um novo fôlego ao funcionamento. Barros disse que sua pasta conseguiu economizar, nos últimos quatro meses, R$ 1 bilhão e prometeu dividir a quantia com o custeio de 99 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), na oferta de 1.401 novos serviços em Santas Casas e hospitais filantrópicos, e na ampliação de medicamento.

De acordo com o ministro, a economia é resultado da redução de custos de contrato, de serviços gerais, preços de medicamentos e extinção de 417 cargos. Do total economizado, R$ 182 milhões serão destinados às UPAs, R$ R$ 371 milhões para o financiamento dos novos serviços das Santas Casas e instituições filantrópicas e R$ 227 à produção de vacina meningocócica e compra de medicamentos.

A expectativa é que os recursos direcionados às instituições filantrópicas e Santas Casa sejam liberados até dezembro, beneficiando pelo menos 216 hospitais. O repasse do dinheiro prometido às UPAs deve começar em outubro, segundo Ricardo Barros, adiantando que a prioridade da pasta sob seu comando será a modernização do atendimento à população.